Quem é você? O que é que te da arrepio quando você faz? Aquilo que te dá tanto tesão de fazer que até parece sexo. Seja arte ou ofício, Vá!

Personalidade, construção, caráter, seu jeito, estilo, seus gostos, suas influências e seus porquês. Para viver com arte é importante conhecer o seu artista interior. O artista é o item mais importante de todo o processo. O conhecimento de si abre a sua cabeça! E ser original ajuda na conexão com o público. Além disso, esse autoconhecimento te direciona aos projetos alinhados ao seu objetivo de vida.

Somos todos únicos. Nossa infância, crescimento e experiências. Cada um é um. E como isso influência nossa jornada é o que vamos ver nessa série que chamo de “tripé do artista”:

1- Quem é você?
2- A diferença entre dom e talento.
3 – Sua personalidade e o seu plano pra chegar lá.

Suas raízes e seu “porque”?

Sua história possue marcas. Todos nós possuímos. Elas determinam o nosso modo de agir na vida.

Tocar baixo, compor músicas, atuar em teatro, pintar quandros, dançar ou coreografar? Antes de mergulhar no nosso produto artístico precisamos perguntar: qual é o nosso propósito? Por que acordamos todo dia pra encarar os desafios da vida e sorrir no final? O que nos move?

Nesse vídeo abaixo (em inglês), Michael Jr., um comediante que inspira as pessoas a encontrarem um propósito na vida, explica um pouco sobre a importância de saber porque você faz algo.

Veja a diferença dele cantando antes e depois de ter uma razão definida. O motivo mudou. A interpretação da música também.

Veja o vídeo pra entender.

O “porque” é o seu combustívelJá o seu “o quê” é uma consequência do seu propósito, ele é o seu veículo.

Fazer o que se gosta é mais produtivo. Além disso o público tem um faro incrível para trabalho sem alma. O público sente.

Mergulhe nesta prática logo abaixo. Vai com desapego e coragem. Mergulhe mesmo!

Para alguns é fácil, pra outros não. Eu achei que demoraria uma semana pra fazer isso e acabou demorando dois meses. E isso porque eu tive ajuda da minha coaching (Gina Best)

Prática

Caneta, papel, bloco de notas ou digital. Anote todo o processo.

Se quiser pode baixar esse pdf

Quem é você _ Vivendo de Arte

Depois use a estrutura abaixo para criar um “manifesto pessoal” com o seu “porquê”. (Veja meu manifesto aqui)

“Na minha infância eu …
Eu me lembro quando …
Isso me deixou …
Senti …
Percebo que hoje eu …
… é por isso que eu faço o que eu faço.”

Parece simples mas geralmente é dificil visitar certas memórias da infância. No geral são situações difíceis (traumas) que direcionam suas ações, mas o seu porquê pode também ter sido criado por experiências muito boas!Ou uma combinação dos dois.

Durante o exercício tudo o que lembrar é relevante e tudo o que te emocionar é verdadeiro. Independente da razão, cometer erros faz parte da nossa história e dos nossos pais. Sem julgamentos nesse exercício. Só observe, escreve, se conheça e siga em frente.

VA

RSP

artista

Todos os posts

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *