Quem somos nós, artistas?

Quem somos nós, artistas?

O primeiro passo que dei nesta jornada rumo a minha profissionalização como artista foi mergulhar fundo em mim mesmo. Para isso usei nos últimos anos técnicas de coaching, meditação guiada, técnicas de construção de marca, terapias e uma infinidade de exercícios que me ajudaram muito a entender quem sou eu. 

A importância de entender O Porquê você faz o que faz

Para mentes criativas é fácil se apaixonar pelo ato de fazer arte. Criar, para nós, é um caminho óbvio. Idéias veem, registramos em algum lugar, e com um sorriso no rosto seguimos para outro trabalho artístico.

Porém o processo entre a idéia inicial e o produto final é cheio de desafios como: prazo, procrastinação, falta de recursos, falta de motivação ou parceiros ou até mesmo desorganização perante tanta idéia na cabeça.

Se tem uma coisa que vai te levar mais rápido até o produto final é: entender O Porquê você faz o que faz.

A razão por traz da arte é o combustível do produto artístico (e de qualquer realização na vida).

A busca deste porquê já foi bastante discutida por diversos autores mas quero citar um deles que acredito sintetizar bastante a importância e resultado disso.

Click na imagem para assistir. Legendas em Português

Simon Sinek é um autor bestseller que sintetizou bem os benefícios desta busca. Em seu livro Por quê (ou Start With Why) ele fala do poder e impacto de uma mensagem clara enraizada em seu propósito de vida. Ele mostra como empresas trabalham isso na construção de suas marcas e o impacto positivo desta prática para empreendedores.

Basicamente é os seguinte: estudando e descobrindo a razão pela qual você faz o que faz, seus atos e resultamos são potencializados de forma impressionante.

Ele usa esse gráfico simples para demonstrar este conceito.

“O circulo dourado” do Simon Sinek 

O Porquê é a razão principal de tudo! O propósito marcado em seu coração. Aquilo que te motiva independente da hora, cansaço e adversidades.

Como você vai realizar o que você quer será diretamente alimentado pelo seu propósito. A produtividade será muito, mas muito maior quando você vivenciar sua razão maior constantemente. Especialmente com tarefas chatas e coisas que não goste muito de fazer.

O que você vai fazer se traduz nos capítulos, obras e produtos artísticos, alinhados com seu propósito. Os projetos realizados serão melhor definidos e alinhados com seu mantra pessoal: “Por que você está fazendo isso?”.

A visão clara do seu propósito te impulsiona frente aos desafios e vícios ao longo de sua jornada como artista. Ela alinha seu propósito aos seus: pensamentos, palavras e ações.

O processo para identificar seu propósito na vida

Eu acredito que todo artista pensa nesse assunto constantemente até porque suas emoções são matéria prima para seu trabalho. Mas muitas vezes o artista não sabe descrever em palavras seu propósito ou realmente não conhece o poder disso.

Toda história de um artista possui marcas e raízes. Todos nós temos isso gravado dentro de nós. Essas marcas moldam o nosso propósito e objetivos de vida.

Na maioria das vezes, as lembranças de nossa infância são os indicativos mais fortes de como olhamos e interagimos com o mundo a nossa volta. Eventos, traumas, alegrias e demais experiências moldam nossa personalidade e nossa forma de pensar.

Dicas antes de começar

  • Experimente ficar em silêncio em algum lugar confortável e com privacidade.
  • Procure revisitar a primeira memória que lhe veem a mente quando era o mais novo possível e vá avançando no tempo.
  • Se você se lembrou é porque é marcante. Anote!
  • Neste exercício não há julgamento. Não procuramos curar ou justificar nada. Não julgue seus pais, familiares ou amigos. 
  • Apenas entenda o que aconteceu e descreva o sentimento.
  • Lembre-se, sinta e escreva. Não pense, descreva.

Imprima e use esse modelo abaixo como um direcionamento de sua “pesquisa”.

Pratica de coaching para descobrir o propósito de sua vida
Click para imprimir ou baixar

Traduzindo suas lembranças. O objetivo aqui é:

  • Encontrar um padrão de comportamento.
  • Revisitar experiências que fizeram você sentir algo muito forte.
  • Qual era a resposta para: “O que você quer ser quando crescer?” quando você tinha entre 12 – 16 anos? Tente se lembrar disso.
  • Qual era sua visão do trabalho, dinheiro e felicidade.
  • Encontre episódios que se repetiam, bons ou ruins. Coisas que fazia, emoções que sentia e conceitos que se afirmavam.
  • Investigue a relação entre esses fatos e o que gosta de fazer hoje. Faça várias associações entre um e outro até encontrar o motivo maior por traz.
  • Anote tudo! Essa é a sua primeira versão. Repita esse processo algumas vezes (Eu fiz esse processo 3 vezes). 

Criando seu manifesto pessoal

Após uma ou mais sessões desta prática você terá bastante conteúdo e emoções anotados na folha acima. É hora de criar o seu manifesto pessoal, sua razão de viver, o seu propósito, o seu porquê de existir.

Siga esses passos para criar uma versão resumida de sua história.

“Na minha infância eu …
Contexto: Descreva como era sua família, como viviam, quantos irmãos ou o seu ambiente familiar.

Eu me lembro quando …
Fatos: Anote os acontecimentos marcantes.

Isso me fez agir / fazer …
Pensamentos e Atos: Escreva a sua reação ao acontecimento. O que fez ou pensou.

Eu lembro que me senti …
Emoções: Diga como você se sentiu durante e/ou após aqueles acontecimentos.

Percebo que hoje eu faço (ou quero fazer) o que faço  porque …
Propósito: O que você faz hoje que está relacionado com aquilo que você vivenciou e sentiu?

Conclusão desta prática

Quanto mais consciente de sua verdade / propósito, mais efetiva será a conexão com seu público, ou melhor dizendo:

Quanto mais conectado com a sua verdade mais arrebatadora será sua mensagem e trabalho artístico.

(vale para a vida também)

Esse processo é transformador. Pelo simples fato de você saber o que quer (e o porquê) você concentra sua força em tudo que é necessário para realizar aquilo. 

Outros benefícios desta prática são: enxergar coisas ao seu redor que não via antes (oportunidades), realizar simples tarefas ou complicados projetos com mais calma e visão longo prazo, maior estrutura emocional para lidar com o medo do novo, e maior produtividade.

Veja o resultado da minha prática aqui.

Seu público estará mais inclinado a seguir, comprar ou valorizar o seu produto artístico, quando entender o razão por traz de sua arte!

Funciona!
Então Vá.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Up Next:

A pergunta que não quer calar: - Como viver de arte?

A pergunta que não quer calar: - Como viver de arte?